Revista Ação Ergonômica
https://www.revistaacaoergonomica.org/article/doi/10.4322/rae.v17e202307
Revista Ação Ergonômica
Artigo de Pesquisa

Identificação De Demandas Ergonômicas Relacionadas Ao Uso/Abandono De Prótese Inferior Por Idosos

Identification Of Ergonomic Demands Related To The Use/Abandonment Of Lower Prosthesis By The Elderly

Mayra Kelly da Silva Calixto, Isis Tatiane de Barros Macêdo Veloso, Maria Christine Werba Saldanha

Downloads: 3
Views: 282

Resumo

Apesar da crescente necessidade de uso da prótese para membros inferiores (PMIs) nos últimos anos frente ao elevado número de pessoas idosas amputadas no mesmo período, o abandono do dispositivo de tecnologia assistiva aumentou em proporções similares em território nacional, conforme apontado em literatura especializada. Este artigo objetivou demonstrar como a instrução da demanda contribuiu para identificar a demanda exposta em literatura no Centro Especializado em Reabilitação (CER IV). Para isso, foram confrontadas as demandas coletadas no estudo teórico documental com aquelas obtidas em pesquisa situada junto aos profissionais de saúde que participam do tratamento de reabilitação do idoso amputado do membro inferior no CER IV no município de Campina Grande/PB. Percebeu-se a tendência ao abandono de próteses de membro inferior pelos idosos em reabilitação, estabelecendo a problemática de pesquisa e direcionando o foco de investigação de estudo avaliativo que visa verificar se os idosos abandonariam modelos específicos quanto a usabilidade aparente.

Palavras-chave

Prótese de Membro Inferior; Idoso amputado; Análise Ergonômica; COVID -19.

Abstract

Despite the growing need to use prostheses for lower limbs (LLPs) in recent years due to the high number of elderly amputees in the same period, the abandonment of assistive technology devices has increased in similar proportions in the national territory, as pointed out in specialized literature. This article aimed to demonstrate how that demand contributed to identify the demand exposed in literature at the Centro Especializado em Reabilitação (CER IV). For this, the demands collected in the theoretical documental study were confronted with those obtained in research located with health professionals who participate in the rehabilitation treatment of the elderly with lower limb amputee at CER IV situated in the city of Campina Grande/PB. The abandonment tendency of the lower limb prostheses by the elderly in rehabilitation was noticed, establishing the research problem and directing the investigation focus of an evaluative study that aims to verify if the elderly would abandon specific models in terms of apparent usability.

 Translated version DOI: https://doi.org/10.4322/rae.v17e202307.en

Keywords

Lower limb prosthesis; Elderly amputee; Ergonomic Analysis; COVID -19.

Referências

Agência Brasil. (2020). Brasileiros com 65 anos ou mais são 10,53% da população, diz FGV: letalidade da covid-19 entre pessoas com 80 anos é 13 vezes maior. Recuperado em 15 fevereiro de 2021, de https://agenciabrasil.ebc.com.br/saude/noticia/2020-04/brasileiros-com-65-anos-ou-mais-sao10-53-da-populacao-diz-FGV.

Biffi et al. (2017). Levantamento dos problemas do dia a dia de um grupo de amputados e dos dispositivos de auxílio que utilizam. Revista de Terapia Ocupacional da Universidade de São Paulo, v. 28, n. 1, 46. http://dx.doi.org/10.11606/issn.2238-6149.v28i1p46-53.

BRASIL. (2021). Consulta Estabelecimento - Modulo Básico: CER IV - centro especializado em reabilitação em Campina Grande. Recuperado em 26 de março de 2021, de http://cnes2.datasus.gov.br/Mod_Basico.asp?VCo_Unidade=2504002362619.

________. (2013). Diretrizes de Atenção à Pessoa Amputada. Recuperado em 25 de fevereiro de 2021, de https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/diretrizes_atencao_pessoa_amputada.pdf.

Boiani, J. A. M.; Medola, F. O.; Paschoarelli, L. C. (2016). Percepção de idosos sobre o uso de andador frontal: contribuições para os estudos de tecnologias assistivas e design ergonômico. Ergotrip Design: revista dos encontros internacionais de estudos luso-brasileiros em Design e Ergonomia, Aveiro, v. 5, n. 1, 184-189. https://doi.org/10.34624/etd.v0i1.1390.

Bortolan et al. (2020). Avaliação de Órtese Afo Por Meio de uma Escala de Diferencial Semântico. Educação Gráfica, Bauru, v. 24, n. 1, p. 159-175. Recuperado em 11 fevereiro de 2021,http://www.educacaografica.inf.br/wp content/uploads/2020/05/13_AVALIA%C3%87%C3%83O-DE%C3%93RTESE_159_175.pdf

Brondani, S. A.; Silva, L. E. (2021). Apoiador de muletas. Brazilian Journal Of Development, v. 6, n. 3, 13856-13871.http://dx.doi.org/10.34117/bjdv6n3-304.

Chamlian, et al. (2016). Dor relacionada à amputação e funcionalidade em indivíduos com amputações de membros inferiores. Acta Fisiátrica, v. 21, n. 3, 113-116. Recuperado em 26 de março de 2021, de https://www.revistas.usp.br/actafisiatrica/article/view/103843/102334.

Costa et al. (2015). Dispositivos de tecnologia assistiva: fatores relacionados ao abandono. Cadernos de Terapia Ocupacional da Ufscar, v. 23, n. 3, 611-624. http://dx.doi.org/10.4322/0104-4931.ctoar0544.

Diogo, M. J. D. (2003). Avaliação funcional de idosos com amputação de membros inferiores atendidos em um hospital universitário. Revista Latino-Americana de Enfermagem, v. 11, n. 1, 59-65. Recuperado em 25 de fevereiro de 2021, de http://rlae.eerp.usp.br/numeros-anteriores.

Faustino, C. M. S. (2021). Design e inclusão durante pandemia de covid-19: relação entre cuidador e artefatos para estimulação em ambiente domiciliar de crianças com atraso no desenvolvimento neuropsicomotor. (Dissertação de Mestrado). Universidade Federal de Campina Grande. Recuperado em 29 de novembro de 2021, de http://dspace.sti.ufcg.edu.br:8080/jspui/handle/riufcg/22477.

Federici et al. (2016). The abandonment of assistive technology in Italy: a survey of National Health Service users. European Journal Of Physical And Rehabilitation Medicine, v. 52, n. 4, 516-526. Recuperado em 27 de setembro de 2020, de https://www.researchgate.net/publication/291328234_The_abandonment_of_assistiv e_technology_in_Italy_a_survey_of_users_of_the_national_health_service.

Gede. (2021). Reunião de apresentação do setor de amputados e mal formados. Campina Grande: Gede. (36 min.), son., N.A.

Gradim, et al. (2016). Mapeamento de recursos de tecnologia assistiva utilizados por idosos. Revista de Terapia Ocupacional da Universidade de São Paulo, v. 27, n. 1, 72. Universidade de São Paulo, São Paulo. http://dx.doi.org/10.11606/issn.2238-6149.v27i1p72-79.

Lanutti et al. (2015). The significance of manual wheelchairs: a comparative study on male and female users. In International Conference on Applied Human Factors and Ergonomics and the Affiliated Conferences (pp .6079-6085). Las Vegas: Proceeding Manufacturing. 2015. http://doi.org/10.1016/j.promfg.2015.07.752

Löbach, B. (2001). Design Industrial: bases para a configuração dos produtos industriais. (1ª ed.) São Paulo: Blucher.

Merino, et al. (2018). Contribuições do design na promoção da autonomia em hospital psiquiátrico de Santa Catarina. In Anais do 13º Congresso Pesquisa e Desenvolvimento em Design (2018). (pp. 6054). São Paulo: Blucher. DOI: 10.5151/ped2018.

OMS. (2015). Resumo | Relatório Mundial de Envelhecimento e Saúde. Recuperado em 20 de abril de 2021, de https://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/186468/WHO_FWC_ALC_15.01_por.pdf?se quence=6.

Pichler, R. F.; Merino, G. S. A. D. (2017). Projeto de Tecnologias Assistivas com abordagem centrada no usuário: diagramas da interação produto-usuário-contexto. Educação Gráfica, v. 21, n. 01, 01-20. Recuperado em 21 de novembro de 2020, de http://www.educacaografica.inf.br/wp-content/uploads/2018/01/15_PROJETO-DE-TE CNOLOGIAS-ASSISTIVAS-_192_212.pdf.

Porsani, et al. (2020). Emoção e estética: análise de invólucros customizáveis de próteses transtibiais por meio da ferramenta Gew. Educação Gráfica, v. 24, 386-402. Recuperado em 14 de abril de 2021, de http://www.educacaografica.inf.br/wp-content/uploads/2021/02/26_EMO%C3%87%C3%83O -E-EST%C3%89TICA.pdf.

__________________. (2004). Ergonomia de concepção de uma plataforma Line Oriented Flight Training (LOFT) em uma companhia aérea brasileira: a relevância do processo de construção social de projeto. (Tese de Doutorado). Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

Saldanha, M.C.W., Carvalho, R.J.M., Oliveira, L.P., Celestino, J.E., Veloso, I.T.B.M., Jaeschke, A. (2012). The construction of ergonomic demands: application on artisan fishing using jangada fishing rafts in the beach of Ponta Negra. Work (Reading, MA), 41, 628–635. https://doi.org/10.3233/WOR-2012-0220-628.

Sansoni, et al. (2015). The Aesthetic Appeal of Prosthetic Limbs and the Uncanny Valley: The Role of Personal Characteristics in Attraction. International Journal of Design. v. 09, n.01. 67-81. Recuperado em 11 de setembro de 2021, de http://www.ijdesign.org/index.php/IJDesign/article/viewFile/1450/661.

Silva, C.; Sader, A. P. C. (2019). As relações funcionais e simbólicas do objeto no design. Projética. v.10, n.01, 119-132. http://doi.org/10.5433/2236-2207.2019v10n1p119.

Sugawara et al. (2018). Abandonment of assistive products: assessing abandonment levels and factors that impact on it. Disability And Rehabilitation: Assistive Technology, v. 13, n. 7, 716-723. http://dx.doi.org/10.1080/17483107.2018.1425748.

Takamitsu, H. T.; Menezes, M. S. (2015). O uso da função estética e simbólica no processo de criação de jóias. In ergodesign & usihc. (pp. 1650-1661). Recife: Blucher. http://doi.org/10.5151/15ergodesign-230-e169.

Torrens, G. E. (2012). Assistive technology product to universal design: a way forward. Design for all, v.7, n. 7, 182-205. Recuperado em 19 de fevereiro de 2021, de https://repository.lboro.ac.uk/articles/journal_contribution/Assistive_technology_produ ct_to_universal_design_a_way_forward_/9348470.

Unites States. (1998, 13 de novembro). Public Law 105–394. Assistive Technology Act of 1998. To support programs of grants to States to address the assistive technology needs of individuals with disabilities, and for other purposes. Washington, DC: Government Printing Office. Recuperado em 16 de março de 2021, de http://www.gpo.gov/fdsys/pkg/PLAW-105publ394/pdf/PLAW-105publ394.pdf.

Veloso, I. T. B. M. (2010). A oficina como método de desenvolvimento de projeto do produto aplicado à atividade jangadeira de Ponta Negra, Natal, RN. (Dissertação de Mestrado). Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal. Recuperado em 21 de agosto de 2020, de https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/15000.

Veloso et al. (2009). Instrução da demanda ergonômica como ferramenta para o design de produtos: um estudo de caso na atividade jangadeira. In 9º ERGODESIGN (pp. 1-6). Curitiba: LABERG -UFPR.

Vidal, M. C. (2008). Guia para Análise Ergonômica do Trabalho (AET) na Empresa. (2ª ed.) Rio de Janeiro: Virtual Científica.

Who. (2016). Opening the GATE for Assistive Health Technology: Shifting the paradigm. Recuperado em 15 de março de 2021, de http://www.who.int/phi/implementation/assistive_technology/concept_note.pdf?ua=1.

 

64f732b4a953955b5960ea45 abergo Articles
Links & Downloads

R. Ação Ergon.

Share this page
Page Sections